COMO ENVELHECER DE FORMA SAUDÁVEL EM TEMPOS DE PANDEMIA

Envelhecer é inevitável, mas, como envelhecer com saúde?

Diante da pandemia do Coronavírus que desafia mundo afora, muitas pessoas estão preocupadas em como conciliar passar por esta fase mantendo um envelhecimento de forma saudável.

Cuidados com o corpo devem ser tomados, mas sem se esquecer dos cuidados com a mente como, cuidar dos pensamentos, emoções e cultivar a espiritualidade.

É imprescindível também o apoio familiar e a alimentação saudável.

É muito importante também incentivar o idoso a cultivar suas habilidades, quaisquer que sejam e tentar também coisas novas, que nunca haviam feito.

Entre todos, o fator principal é a alegria de viver, sabendo que está entre amigos e entes queridos.

Cuidados Com os Idosos no Inverno

Antes mesmo da chegada oficial do inverno, as temperaturas mais baixas já estão por aqui há alguns dias. Época do ano esperada por muitas pessoas que a consideram aconchegante e agradável e nem tanto para outras

Para muitos idosos, ela representa um período delicado, onde os cuidados com a rotina e a saúde devem redobrados, principalmente no momento atual, afinal, o corpo fica mais frágil e sujeito a determinadas doenças da estação. Alguns cuidados são muito importantes tomarmos com relação aos nosso idosos. Veja alguns:

Aquecimento da casa
Existem alguns tipos de aparelhos de ar condicionado que também proporcionam ar quente. Desde que bem mantidos, bem limpos e com a regulagem certa, podem gerar um ambiente agradável.

Roupas e acessórios
Além de moletons e jaquetas, devemos nos atentar também aos acessórios que protegem outras partes do corpo contra as temperaturas amenas.

Mesmo dentro de casa, é importante que os idosos utilizem toucas, luvas, mantas e meias mais grossas para evitar a exposição às friagens.

Hidratação da pele
O inverno brasileiro é bem seco, favorecendo, assim, o ressecamento e problemas de pele, como alergias, coceiras e irritações.

Fique atento aos sinais da pele que podem indicar falta de hidratação e faça uso de hidratantes para reduzir a sensação de pele seca.

Banhos
Os banhos dos idosos devem ser mais rápidos durante o invernoe é fundamental que eles tenham o corpo bem secos imediatamente após o banho.

Em caso de cabelo longo, é imprescindível que ele também seja secado, para evitar resfriados, dores de cabeças e outros inconvenientes.

Também tem que ter cuidado com a temperatura da água quente no banho, em especial em relação a pele. Afinal, ela pode ajudar a eliminar a camada de gordura da pele que ajuda a proteger o corpo de qualquer coisa no ar.

Atenção redobrada à saúde

Por ser um período mais delicado para a saúde de nossos velhinhos, a atenção aos sinais de doenças deve ser redobrada. Não hesite em buscar ajuda médica se o idoso apresentar sintomas como confusão mental, calafrios ou dificuldades respiratórias.

Além disso, vale a pena falar com um médico especializado, como um nutricionista, para passar uma rotina alimentar que ajuda a fortalecer o sistema imunológico.

Checar as vacinas contra gripe

Verifique sempre se a vacina contra gripe está atualizada. Caso contrário, busque a melhor forma de levar o idoso para tomar a mais nova dose.

Além disso, aproveite para deixar as janelas de casa abertas durante o dia. A gripe e outras doenças respiratórias, como o novo coronavírus, se beneficiam se o ar estiver parado. Por isso, é bom deixar o ar da casa circular bastante.

Vitamina D

A exposição diária ao sol de, no mínimo, 15 minutos, é imprescindível para a sintetização da vitamina D e o sol é o único que pode fazer isso. O déficit da vitamina por falta de exposição ao sol deve ser constatado por meio de exames e consultas médicas. Se necessário, busque um nutricionista para indicar a suplementação adequada do nutriente.

Na alimentação, peixes, gema de ovos, bifes de fígado e cogumelos são ricos em vitamina D, sendo boa opção reforçar a ingestão desses alimentos durante o inverno.

Com todas essas dicas, fica mais fácil cuidar da saúde dos idosos no inverno. É claro que essa fase da vida traz algumas fragilidades, mas nada que não possamos nos adaptar para superar.

Conheça o poder da música para idosos com Alzheimer

A música mexe com as nossas emoções. Todos nós temos uma canção que ficou marcada na nossa história.

Com os idosos com Alzheimer não é diferente. É por isso que a musicoterapia tem um poder tão grande entre os pacientes. Mas como a Doença de Alzheimer é progressiva e irreversível, aos poucos a memória antiga também vai sendo prejudicada.

É aí que a música entra em jogo para controlar o avanço da perda de memória. Experiências têm demonstrado que os pacientes têm um novo ganho na qualidade de vida, disposição, melhora de humor e saúde com o uso da música entre as atividades de estimulação cognitiva.

Algumas experiências na Espanha e nos Estados Unidos já vinham utilizando a música no tratamento de idosos com a Doença de Alzheimer. No Brasil, a Universidade Federal da Paraíba adotou o projeto de extensão “Musicalmente” que reúne idosos com a enfermidade para sessões de musicoterapia.

Cada atividade é individual e baseada no repertório de cada paciente. Assim, os participantes relatam que conseguem amenizar os sintomas do Alzheimer. Inicialmente, os técnicos coletam os dados do paciente e analisam o estágio da doença. Os parentes são ouvidos para ajudar a produzir uma lista com as músicas mais significativas para o paciente.

A partir daí, as canções são trabalhadas de forma a estimular a memória por meio do vínculo musical. Os ganhos do tratamento são evidentes, segundo os profissionais. Os idosos passam a ter maior facilidade de localização espacial e temporal, além de reduzir sintomas de depressão e ansiedade. Na nossa saúde e bem-estar, a música nos transporta para uma nova condição. Se quando estamos sadios, ela já tem esse poder, imagine então quando ela é usada como coadjuvante no tratamento de uma enfermidade.

Um artigo científico publicado na revista Columbia Magazine com o título em inglês “Music Physically Considered” já demonstrava no ano de 1789 que a música tinha efeitos terapêuticos. Afinal, a melodia tem o poder de impactar nos processos psicológicos e fisiológicos e, assim, agir em determinadas áreas do cérebro. Veja alguns dos seus atributos:

  • Efeitos nas áreas biológica, intelectual, espiritual e social;
  • Age no sistema nervoso, circulatório, respiratório e digestivo.

Em se tratando de pacientes com Mal de Alzheimer, o uso estratégico da música é capaz de impactar positivamente no indivíduo. Isso porque embora a doença afete a memória, a percepção e a sensibilidade para a melodia podem permanecer por muito mais tempo.

Portanto, os pacientes que passam por esse tipo de tratamento remetem-se a lembranças antigas da vida pessoal e familiar. Muitos conseguem se lembrar dos amigos da juventude, do primeiro beijo, do abraço dos pais, entre outras emoções que podem ser resgatadas através de uma simples canção.

Com isso, a música exerce uma grande influência sobre as pessoas. E, por isso, a musicoterapia aplicada em idosos com Alzheimer beneficia tanto o paciente quanto o cuidador (se este for alguém da família), pois proporciona o resgate de momentos prazerosos entre eles.

Sabendo da importância da música no controle do avanço progressivo do Alzheimer, a Casa Serena Idade, inseriu a musicoterapia nas atividades desenvolvidas em grupo com os residentes.

Portanto, além das canções trabalhadas nas nossas confraternizações, temos sessões de serestas com melodias que fizeram parte da juventude dos residentes. Assim, muitos aproveitam para dançar e se divertir, dividindo momentos especiais com os amigos.

Como o videogame pode ajudar na rotina do idoso?

Videogame para idosos?

Até pouco tempo atrás, essa seria uma ideia quase absurda, uma vez que o videogame só era usado por crianças e adolescentes. Idosos até então tinham que jogar dominó, cartas, palavras cruzadas, etc.

Porém, cada vez mais estudos têm revelado que o videogame também é um grande aliado dos idosos para ajudar na memória e prevenir o Alzheimer.

Recentemente cientistas canadenses realizaram um estudo, durante seis meses, com 33 idosos de 55 a 75 anos, para saber os reais efeitos do videogame na terceira idade.

Foi constatado que o grupo teve um aumento de memória de curto prazo e também da matéria cinzenta no hipocampo e no cerebelo.

Serena Idade. Sempre inovando para trazer mais saúde aos nosso idosos.

Atenção espacial: calendário de vacinação do idoso

As vacinas são o melhor meio de prevenir a contaminação viral ou por bactéria, que causa doenças e agrava outras enfermidades em idosos já debilitados. Por isso é recomendado que familiares, a cada começo de ano, confiram o calendário de vacinação obrigatório.

Deixar de olhar o calendário de vacinas pode trazer riscos não só para o idoso, como para seus familiares. Confira quais são as principais vacinas o idoso deve tomar para se imunizar de certas doenças.

Gripe
Age contra o vírus do tipo Influenza, pneumonias. Deve ser tomada 1 vez ao ano;

Pneumonia Pneumocócica
Tomada em 3 doses, previne infecções provocadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, que causa pneumonia, além de prevenir a meningite e a bacteremia;

Tétano e Difteria
Tomar de 10 em 10 anos para proteger contra infecções por tétano, doença infecciosa que pode levar à morte, e contra a difteria (doença infecciosa contagiosa);

Herpes Zóster
Dose única para todos acima dos 60 anos. Mas idosos com câncer, HIV ou em uso de corticóides sistêmicos ou quimioterápicos não devem tomar;

Hepatite
A vacina contra hepatite B, ou a combinada hepatite A e B, é feita em 3 doses;

Meningite Meningocócica
Administrada em dose única, protege contra a bactéria Neisseria meningitidis;

Febre Amarela
É aplicada uma dose para a vida toda. Porém, idosos com histórico de alergia ao ovo, diabéticos, com imunidade reduzida, com HIV ou tomando medicamentos imunossupressores, quimioterápicos ou radioterápicos não podem tomar esse tipo de vacina;

Tríplice Viral
Deve tomar apenas 2 vezes ao longo da vida, protegendo contra caxumba, sarampo e rubéola.

A maioria são oferecidas por meio do Sistema Único de Saúde, o SUS pelo Ministério da Saúde, mas outras são disponibilizadas apenas em clínicas particulares. Esse é o caso, por exemplo, das vacinas contra herpes zóster e hepatite A.

Para não perder nenhuma destas, aqui na Casa Serena Idade, nossa equipe acompanha o calendário de vacinação anual, de forma que nossos residentes estejam sempre protegidos.

Faça como nós, proporcione uma vida serena para seu idoso! Assim, melhoramos a qualidade de vida, a saúde e a disposição de todos! Agende uma visita e venha nos conhecer!

 

Vitaminas importantes para os idosos

Com o passar dos anos, nosso corpo acarreta algumas alterações no funcionamento do organismo, tanto a imunidade quanto o metabolismo, e também o processo digestivo.

Por isso, o consumo de vitaminas para os idosos é de extrema importância. Com uma alimentação balanceada na terceira idade, garante mais saúde, qualidade de vida e bem-estar.

Listamos 7 são as vitaminas mais importantes para os idosos. Saiba quais:

 

1 – Vitamina C
Proporciona vários benefícios para o corpo, como o fortalecimento dos capilares sanguíneos e do sistema imunológico. Além de ser um excelente antioxidante, auxilia na absorção do ferro.
As frutas cítricas são a principal fonte dessa vitamina. Um copo de suco fresco de laranja, por exemplo, já supre a recomendação diária de consumo. Alguns outros alimentos também são ricos do nutriente, por exemplo, a salsinha.

2 – Vitaminas do complexo B
As vitaminas do complexo B, em especial B1, B6, B12 e B9 (ácido fólico), têm grande importância para a saúde do cérebro, pois são necessárias para a produção de neurotransmissores, isolamento das células nervosas, proteção dos tecidos contra a oxidação e aumento da memória.
Esses nutrientes também fortalecem o sistema imunológico e atuam no metabolismo de gorduras, proteínas e carboidratos. São encontrados principalmente em carnes, sementes, leguminosas, oleaginosas e cereais integrais, como milho, amendoim, lentilha, feijão-preto e espinafre.

3 – Vitamina D
Com o envelhecimento, ocorre uma diminuição da absorção pelo intestino da vitamina D, que auxilia o organismo na absorção do cálcio e seu metabolismo dos ossos. O nutriente ainda fortalece ossos, dentes e ajuda no combate à enxaqueca.
Sua principal fonte é a luz solar. A exposição ao sol de 10 a 20 minutos por dia é o suficiente para suprir a necessidade do nutriente. Apesar disso, é possível também encontrá-lo em alguns alimentos, como leite e seus derivados, ovos e peixes de água salgada.

4 – Cálcio
O desgaste ósseo e problemas como osteoporose são bastante comuns na terceira idade. Por isso, o consumo de cálcio é tão importante para quem deseja manter ossos saudáveis e resistentes.
O mineral também auxilia na saúde do coração e do cérebro, regulando os batimentos cardíacos e as funções nervosas.
O leite e seus derivados são as mais conhecidas fontes de cálcio e devem ser consumidas em três a quatro porções diárias. Ainda é possível encontrar o nutriente em alimentos como gergelim, quinoa e verduras de folhas verde-escuras.

5 – Ferro
Essencial para a saúde do organismo, e sua falta pode produzir sintomas como cansaço, queda de cabelo, palidez, dificuldade de concentração e baixos níveis de oxigênio. Sua carência é conhecida como anemia, que nos idosos pode ser sinal de outra doença subjacente.
A principal função do ferro é ajudar o sangue a transportar o oxigênio pelo corpo, e ele pode ser encontrado em alimentos como legumes, vegetais verde-escuros e carne vermelha.

6 – Potássio
Muitos idosos fazem uso de remédios contra hipertensão, que costumam ter ação diurética e levam à perda de potássio. Esse mineral tem por principal função reduzir os níveis de sódio no organismo, além de ser útil no combate à prisão de ventre.
O potássio também age na contração dos músculos e regula a pressão sanguínea. Para incluir o mineral na alimentação, é importante consumir frutas como banana, damasco, abacate e ameixa, além de iogurtes, feijão e ervilha.

7 – Ômega 3
Este é outro nutriente importante para a saúde do cérebro. O consumo de ômega-3 ajuda a prevenir doenças como depressão, Parkinson e Alzheimer, além de perda de memória e concentração. Os peixes, como salmão, sardinha e atum, são a fonte de ômega-3 mais conhecida.

Vale destacar que, como na terceira idade o metabolismo costuma ser mais lento, nem todos os idosos conseguem tirar máximo proveito dos alimentos que consomem. Alguns casos específicos demandam uma suplementação de nutrientes.

Entretanto, essa suplementação de vitaminas para idosos não deve ser feita sem a recomendação de um médico ou nutricionista, além de ser indicada somente após avaliação clínica e exames.

, , , ,

OS BENEFÍCIOS DA HIDROGINÁSTICA

Os benefícios da hidroginástica para idosos se estendem do fortalecimento muscular com menor risco de lesão, além da possibilidade de socialização, garante que os praticantes melhorem o condicionamento e se sintam com a autoestima elevada, confira:

– Fortalecimento muscular com menos risco de lesão

A água produz uma sobrecarga natural. Mas, simultaneamente, reduz o efeito da gravidade sobre o corpo, diminuindo a compressão das articulações. Isto permite a realização de exercícios que fortalecem a musculatura sem agredir as regiões articulares. Além de ser um ambiente praticamente antiqueda.

– Condicionamento cardiovascular

Graças ao aumento do volume sanguíneo em circulação, a frequência cardíaca se mantenha sob controle. Esses elementos contribuem para o condicionamento cardíaco e circulatório.

– Conforto no exercício

A temperatura regulada da água nas piscinas possibilita que o idoso se sinta mais confortável durante o exercício físico. Em outras palavras, ele não sente excesso de calor ou frio, o que colabora para que toda a execução da ginástica seja mais agradável.

– Ajuda na autoestima

Porque todos estão dentro da água e com roupas de banho próprias para o exercício, há menos comparação estética entre os participantes da hidroginástica.

– Auxílio na postura

Por conta da posição vertical dentro da água, bem como o efeito desse meio sobre o corpo do idoso, a hidroginástica pode melhorar a postura.

– Melhora em todo o conjunto corporal

A hidroginástica para idosos também colabora com o ganho de flexibilidade, equilíbrio e coordenação motora.

, ,

10 BENEFÍCIOS DOS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO PARA OS IDOSOS

Saiba como um animal doméstico pode aumentar o seu bem-estar ou o dos seus familiares.

Vários estudos confirmam que os animais de estimação trazem inúmeros benefícios para a vida dos idosos. A ligação entre humanos e animais é diferente de qualquer outra. Mas por que razão esta ligação é tão intensa? De acordo com Dr. Jay P. Granat, um psicólogo norte-americano,“os cães, e outros animais de estimação, vivem sobretudo no aqui e no agora. Não têm de se preocupar com o amanhã. No entanto, sabemos o quanto pensar no amanhã pode ser assustador para os idosos. Ter um animal com esse sentido do “agora”, influencia a forma como os nossos idosos encaram a vida.”

Recentemente, o News e I World Report publicaram um estudo em que apontam 10 benefícios para considerarmos um animal de estimação como algo vital nos últimos anos da nossa vida ou da vida dos nossos idosos. Veja quais são:

1 – Combate à solidão

A solidão é um sentimento comum na geração dos nossos pais ou avós. É importante saber lidar com este problema antes que evolua para uma depressão. Um animal de estimação, como um cão ou um gato, adapta-se à rotina do seu dono. Nunca se mostram indisponíveis e, se forem de porte pequeno, podem acompanhá-lo facilmente nas suas viagens ou passeios. Se mora num apartamento, isso não será um impedimento.

2 – Ajudam a criar uma rotina

Tomar conta de um cão, por exemplo, irá fazer com que crie uma rotina, que trará estrutura e sentido ao seu dia-a-dia. Uma pessoa idosa que se sinta só, pode perder a vontade de se levantar ou sair de casa todos os dias. Porém, como um cão depende de si, obriga-o a manter-se ativo e a interagir com ele para o bem-estar de ambos.

3 – Mente e corpo ativos

O exercício é importante para pessoas de todas as idades, mas para os idosos é vital. Criar uma rotina de exercício diário pode ser um verdadeiro desafio para a maior parte das pessoas. Ter um animal de estimação pode estimular e cultivar em si o hábito de fazer uma caminhada diária, coisa a que não pode faltar, nem pode adiar, como o poderia fazer se tivesse de ir para o ginásio.

4 – Reduzem o estresse

Alguns estudos mostram que os idosos que não têm animais de estimação estão sujeitos a mais stress e aos problemas de saúde associados. Levar um animal de estimação para caminhar ou ter a companhia deste novo amigo, pode ter um impacto muito positivo nos níveis de stress. Para além disso, acordar todos os dias e sentir o amor e alegria incondicionais de um animal de estimação, será garantia de boa disposição.

5 – Atividades ao ar livre

Os animais de estimação, sejam cães ou gatos, não gostam de ficar presos em casa. Ter um animal de estimação requer atividades ao ar livre e interação social. Quer seja numa ida ao veterinário ou numa simples ida ao parque, o animal de estimação ajuda-o a manter-se em contacto com a vida fora da sua residência.

6 – Novas amizades

Pessoas com animais de estimação participam, por norma, nas mesmas atividades. Passeios em comunidade, eventos de caridade ou outros projetos que sejam para promover o bem-estar dos animais. Para além disso, um animal de estimação pode ser um bom pretexto para começar uma conversa com alguém. Estará em constante comunicação com o mundo que o rodeia.

7 – Descobrir novos interesses

Uma vez que um animal de estimação o obriga a manter-se socialmente ativo, acabará por descobrir novos interesses e passatempos. Pode apetecer-lhe iniciar um projeto de limpeza do seu parque local, ou até levar o seu cão como voluntário para fazer companhia a outros idosos em lares de terceira idade.

8 – Sentido de segurança

Viver sozinho pode ser algo preocupante, sobretudo numa idade mais avançada. Ter um cão não só traz companhia como também o faz sentir-se mais seguro. O ladrar de um cão pode ser um perfeito sinal de aviso em caso de entrada de estranhos ou de algum acontecimento fora do normal na sua casa.

9 – Um novo propósito

É comum um idoso sentir que lhe falta um propósito ou objetivo de vida, sobretudo depois de uma vida de trabalho, com os filhos já criados. Ora, como um animal de estimação depende do seu dono, isso pode trazer-lhe de novo essa sensação de que está a tomar conta de alguém. Isto terá um especial significado se adotar um animal de um canil. Existem inúmeros onde poderá encontrar animais que foram abandonados, com a vantagem de já estarem vacinados, desparasitados e castrados.

10 – Um novo compromisso

Ter um animal de estimação significa que tem um novo compromisso: o de ser importante para a vida de outro ser. Sabemos que o seu animal de estimação apenas fará parte da sua vida por um período limitado de tempo. Para eles, o dono estará ali a vida inteira. Embarcar nesta aventura juntos é uma das decisões mais importantes que poderá tomar, à medida que a idade avança.

Outros benefícios dos animais de estimação para os idosos

Para além destas 10 razões, vários estudos científicos comprovaram outras vantagens das terapias com animais de estimação, que incluem:

-Redução da utilização de medicamentos;

-Melhoria na saúde física e pressão arterial mais baixa;

-Melhoria na alimentação, pois o estímulo da atividade física aumenta o apetite.

Tomar conta de um animal de estimação poderá ser uma experiência muito compensadora para melhorar a sua qualidade de vida.

, ,

Não deixe quem você ama sozinho! Estadia Temporária Casa Serena Idade

São vários os motivos que seria melhor deixar seu idoso querido num lugar seguro, familiar e especializado, como por exemplo, férias da família em que não seria muito seguro levá-lo junto, ou um pós-operatório que o idoso necessitará de enfermagem 24 horas para melhor recuperação, ou mesmo para o idoso socializar mais e ter mais atividades.

Uma rotina especial será programada para o seu idoso, de acordo com suas necessidades e ele será cuidado 24 horas por profissionais capacitados.

Diferentes atividades diárias fazem parte de uma programação que vai manter o idoso ativo e feliz, interagindo com todos os outros, fazendo seu dia mais leve e saudável. Tudo isso, dentro da sua vontade. Veja a infraestrutura oferecida:

  • Enfermagem 24 horas
  • Geriatra
  • Alimentação Balanceada – (5 refeições diárias)
  • Nutricionista
  • Terapeuta Ocupacional
  • Fisioterapia
  • Musicoterapia
  • Psicólogo
  • Curativos
  • Cabelereiro
  • Lavanderia
  • Roupa de Cama e banho
  • Higiene Pessoal Básica

Portanto, não precisa mais procurar o lugar ideal para a estadia, temporária, ou permanente do seu idoso. Na Serena Idade ele vai se sentir amparado, protegido e feliz.

Faça-nos uma visita.

Rua Frei Antonio de Pádua, 1061 – Jardim Guanabara, Campinas, SP.

19-3307-0686

19-99508-3136

contato@serenaidade.com.br

, ,

CUIDADOS COM IDOSOS ENFERMOS

CUIDADOS COM IDOSOS ENFERMOS.

Nesta semana comemoramos o dia do enfermo, esta data é importante para sensibilizar a população em geral para a necessidade de cuidados especiais das pessoas, principalmente os idosos.

Para isso, vamos mostrar alguns cuidados que são importantes para quem tem mais idade e, infelizmente, não está com a saúde muito boa.

– Contrate um profissional qualificado

Contratar um cuidador de idoso é fundamenta para as pessoas de idade. O profissional é especializado para assegurar o conforto e a segurança e quem está a seus cuidados.

Quando o idoso está com uma doença grave e/ou termina, é necessário contratar um enfermeiro ou uma casa de repouso, assim, o profissional consegue ministrar as medicações, monitorar sinais vitais e ficar atento a sinais de sofrimento, que podem significar a necessidade de atenção médica.

– É necessário fazer exercícios físicos

Isso vale até para um paciente acamado! É fundamental que o idoso se exercite, mas dentro dos limites de sua condição.

Por isso que, nos hospitais, possuem fisioterapeutas, que trabalham alguns movimentos e alongamentos básicos com os pacientes.

É indicado fazer exercícios duas vezes ao dia, para evitar a atrofia dos músculos, preservar o funcionamento de articulações e evitar problemas circulatórios.

– Monitore os sinais vitais

Dependendo o quadro que o idoso apresenta, é necessário fazer um monitoramento constantemente nos sinais vitais. Felizmente, alguns índices podem ser controlados, como:

  • Temperatura;
  • Pulso;
  • Pressão arterial;
  • Pressão venosa central;
  • Oxigenação do sangue.

Quando são analisadas, podem fornecer informações a respeito do quadro de saúde do paciente. Assim, é possível tomar decisões para melhorar a saúde do idoso.

– Não deixe o idoso na mesma posição

Quando o idoso fica parada na mesma posição durante um determinado tempo, ele sentirá dores ou formigamento no corpo.

Por isso, caso o paciente está acamado, deve trocar de posição a cada duas horas.

A permanência prolongada em uma mesma posição, pode causar dores e cãibras, podendo causar lesões por pressões.

A mudança constante de posição do idoso alivia a pressão sobre certas regiões do corpo, evitando que ela seja excessiva.